Construtores de barcos deveriam ler Shakespeare


construtores deveriam ler shakespeareEu tenho pensado um bastante sobre o significado da palavra “Nerd” desde que Dr. Ted Seuss utilizou esta expressão em 1950 em um dos seus romances infantis. O adjetivo “Nerd” é usado para caracterizar uma pessoa com interesses nos aspectos da ciência, que tende a estar fechado em seu próprio mundo estreito e tecnológico, sempre absorvido em seus próprios problemas complexos, e de difícil compreensão, na maioria das vezes, relacionados com a física e a matemática, de modo que ele não consegue se comunicar com o mundo externo.

Se esta definição estiver correta, então cientistas, engenheiros, e Nerds em geral, não deveriam participar de decisões importantes que afetassem uma coletividade. Durante algum tempo eu tenho observado de perto uma tendência Nerd na maioria dos engenheiros que trabalham na construção de barcos, e eu suponho que muitos de vocês também.

Tenho visto também que muitas vezes estes mesmos técnicos ignoram ou rejeitam qualquer outro tipo de idéias que poderiam proporcionar a eles habilidades em outras áreas do conhecimento. Em muitas das minhas palestras, sobre construção de barcos, eu sempre tento mostrar novos ângulos sobre o mesmo problema. Gosto de discutir o comportamento dos materiais e processos construtivos mostrando as considerações qualitativas de cada variável. Nada é preto ou branco, mas uma infinita matriz de cinzas, onde você pode usar hipóteses que modifiquem a solução do mesmo problema.

Muitos dos assuntos das minhas palestras são realmente técnicos e requerem alguma dose de conhecimentos de matemática, cálculo e física, mas também necessitam do entendimento das relações humanas, políticas e econômicas. Engenheiros devem entender de engenharia, mas também devem saber aplicar estes conhecimentos na vida prática. Entretanto alguns engenheiros acreditam que somente a parte teórica seja suficiente para se “comunicar” com o mundo. Infelizmente isto é um erro, e é onde eles ficam presos na zona Nerd. Outras habilidades são necessárias no mundo real e todos deveriam ter pelo menos algum conhecimento de finanças, marketing e decisões sobre negócios.

Mas qual o valor que tem Shakespeare nisto? Uma das mais óbvias razões a meu ver é que ele foi sem dúvida um dos maiores escritores e criador de expressões que usamos impensadamente todos os dias tais como – “Isto é grego para mim”. Shakespeare nos ensina a pensar, porque logicamente pensamos através de palavras, e ele foi um mestre em inventar novas palavras e sentenças que pudessem retratar as emoções humanas e seus conflitos.

Por exemplo: Hamlet era um estudante, e eu espero que a maioria dos leitores aqui se identifique com ele. Ele estava preocupado com a resposta de um sério problema porque não acreditava na informação que recebera da sua mãe Gertrudes e do seu conselheiro Polonio sobre a morte de seu pai, o Rei da Dinamarca. Ele tinha uma percepção que seu tio Claudio havia assassinado seu pai e casado com sua mãe. Então Hamlet decidiu por em prática um experimento para verificar a veracidade daquela hipótese. No inicio ele teve algum sucesso, criando uma expectativa sobre o assassino, mas não esperava ter se complicado logo em seguida, esfaqueando por engano Polonio, o conselheiro real. Na verdade ele cometeu um tremendo erro e teve que repensar toda a sua estratégia. Finalmente depois de gastar um tempo longe do problema, ele voltou ao trabalho e conseguiu achar a solução correta e a executou com perfeição, mas ironicamente a situação mudou mais uma vez e sua ação veio tarde demais causando a sua morte e de toda a sua família. Eu sei que Hamlet não era um engenheiro, mas seu modo de pensar e agir na situação tem muito de relevante com a vida, que nós engenheiros, temos no dia a dia de nossas fábricas.